Preciso Parar de Fumar?

Preciso mesmo parar de fumar? Mesmo sendo tão gostoso? E se eu só diminuir, já não resolve? Quantas vezes você já se perguntou isso, ou ficou naquela conversa mental enquanto tentava resistir à vontade de acender o primeiro cigarro do dia?

Tentando se convencer de que um a mais ou a menos não teria importância, afinal o que importa na hora é só aquele mísero cigarrinho.

A boa notícia é que você só irá parar de fumar quando quiser!

Mas veja bem, isso também traz uma grande responsabilidade, pois não há fórmula mágica, nem nenhum botãozinho que podemos desligar e a vontade de fumar irá sumir de repente e nunca mais voltar. Depende da sua vontade.

Agora você pode estar dizendo: eu quero parar, mas não consigo, é mais forte que eu.

Há algumas estratégias que ajudam bastante:

  • Marque uma data para parar, de preferência em um final de semana, ou num dia que estiver mais tranquilo e não precise trabalhar. Os mais difícil são os primeiros dias, principalmente o primeiro, depois vai melhorando, acredite;
  • Lembre-se que a fissura, aquela vontade absurda de fumar, dura apenas alguns poucos minutos. Resista!
  • Evite os gatilhos, lugares ou situações em que costumava fumar, principalmente nos primeiros dias, isso inclui o cafézinho e o álcool;
  • Faça exercícios leves, como uma caminhada;
  • Beba bastante água e sucos;
  • Evite o primeiro cigarro, não se engane achando que é só esse;
  • Lembre-se dos benefícios.

Benefícios ao longo do tempo, após:

  • 20 minutos, pressão arterial e pulsação voltam aos níveis normais;
  • 2 horas, a nicotina sai da corrente sanguínea;
  • 8 horas, o nível de oxigênio aumenta e nível de monóxido de carbono volta ao normal;
  • 24 horas, risco de um infarto relacionado ao fumo começa a diminuir;
  • 48 horas, terminações nervosas começam a crescer novamente, olfato e paladar ficam mais apurados;
  • 3 semanas, respiração e circulação já apresentam melhora;
  • 1-9 meses, sintomas do fumo diminuem, como tosse, ronquidão, fadiga, falta de ar. Aumento da capacidade de eliminar muco e "limpeza dos pulmões" se iniciam;
  • 1 ano, as chances de doenças cardíacas já são a metade de um fumante;
  • 5-10 anos, os riscos de um infarto já é igual de quem nunca fumou;
  • 15 anos, riscos de morte por doenças cardíacas relacionadas ao fumo já são iguais ao de uma pessoa que nunca fumou.

Mas se seu caso é: Não quero parar, é bom demais, mas preciso. Seja por algum problema de saúde (o mais comum), problemas financeiros ou até mesmo algum problema de convívio social (como trabalho, família, etc), sendo que o problema de fumar não parte de você, mas você sabe que seria muito melhor se não tivesse esse vício.

Por mais que você pense que é uma escolha sua e que envolve apenas seu corpo e ninguém tem a ver com isso, pense no seguinte: Será mesmo? Os possíveis problemas que acarretarão seu vício não terá custo para mais ninguém? O simples fato de alguém ter que levá-lo ao hospital, seja sua família ou o próprio SAMU (que poderia estar socorrendo alguém que não teve o poder de escolha), não é um fardo para alguém?

E os custos médicos? Esse dinheiro não faria falta? Será mesmo que você não está sendo egoísta?

Esses são alguns pontos para analisar.

Palavras-chave: Parar de fumar, cigarro, fumar